quinta-feira, 10 de junho de 2021

Concrecoisa Confissão

 

Choveu...

E algumas gotas se reuniram no vidro d’uma janela.

Outras foram chupadas pelo chão.

E teve as que caíram num córrego para depois abraçar o mar.

Ali no vidro, antes de evaporar, aquelas gotas da chuva começaram a conversar.

Em tom de confissão, falaram de suas angústias, dos momentos de alegria e sobre a esperança.

Muitas diziam que “evaporar é o mesmo que morrer para a vida eterna”.

As mais céticas diziam que “evaporar é o caminho para deixar de ser o que é e depois acabar em nada”.

Teve uma que falou do amor.

Chegou até a revelar que “estava apaixonada pelo calor”.

As que riram não sabiam que o fogo do amor é tudo que o ser humano precisa para viver feliz.

E quando o calor bateu, ela e-va-po-rou e foi morar nas nuvens, sempre rindo e sempre cantando.

sexta-feira, 4 de junho de 2021

Concrecoisa Castigo

 

O chão ficou marcado pela ferrugem, resultado da corrosão do prego de ferro em presença do oxigênio atmosférico e em meio úmido.

A marca é apenas uma consequência da oxidação.

Essa oxidação, na natureza, traz outras marcas.

Tudo por conta dos efeitos naturais da ação do tempo na vida e nos materiais.

Um sábio, certa feita, me falou que o vento gosta de tramar com o tempo em oxidação desconcertante.

Como prova material, mostrou um monte de barro que erodiu até virar poeira.

Depois disse que a luz e a água também entram na trama do tempo, sempre agindo com naturalidade numa outra forma de oxidação desconcertante.

Ele me fez ver que “a marca no chão mostra que o tempo castiga”.

Estou esperando o sábio voltar para saber mais sobre a oxidação da personalidade humana.

A marca indelével na história, não mais no chão, mostrará nas palavras ditas e não ditas quem são os canalhas, os traidores, os bandidos, os enganadores e os verdadeiros heróis.

sexta-feira, 28 de maio de 2021

Concrecoisa Tela-trama

 


A tela da TV mostra a trama.

Mostra a teia.

Mostra a textura.

Mostra tudo.

E mostra que treme quando falta a grana.

A tela-trama-teia-textura é pura mistificação das massas pela ideologia do seu dono.

E quando a grana chega, a tela se ajoelha, fica em silêncio e esquece tudo aquilo que mostrou.

quinta-feira, 20 de maio de 2021

Concrecoisa Cada estrada feliz

 

Todo mundo é estrada 

E a felicidade corre nela

Na pista

No acostamento

Até nos levar para algum lugar.


E no destino traçado pelo viver

Essa tal felicidade vai aumentando

Por retas e curvas

No asfalto liso

Nos buracos

Nos cascalhos

E na poeira levantada pelo destino.


E nas rotas marcadas por caminhos e descaminhos

A vida feliz só aumenta

Conforme o estradar que cada um escolheu.


quinta-feira, 13 de maio de 2021

Concrecoisa Agir

 

A rua ficou deserta.

O vírus afugentou todo mundo.

E dentro das casas, ele agiu.

O vírus agiu e reagiu.

Ele sabe que agir é movimento.

E que movimento é um reagir constante.

Dentro dessa perspectiva, o filósofo pré-socrático Heráclito de Éfeso disse que “tudo flui, tudo é movimento”.

Numa outra projeção, agir e reagir apontam para o renascer.

E a rua, agora, não está mais deserta.

O mundo afugentou o vírus.

Fora das casas, a vida gritou.

A vida, na verdade, agiu e reagiu.

O movimento é a vida.

quinta-feira, 6 de maio de 2021

Concrecoisa Infiltrado

Aquela cidade fantasma “sentia frio”, ao ser “lavada” pelo vento polar. 

Ela morreu quando nasceu um infiltrado.

Ele estava dentro de um ovo.

Falaram que era o ovo da serpente, mas não deram ouvidos às falas que ecoavam pelas ruas centrais.

O certo é que era, sim, um ovo diferente.

Dele, nasceu um infiltrado.

Ele chegou para combater o sistema.

Sua missão era contestar e destruir.

Com o tempo, outros ovos chocaram mais infiltrados.

A cidade trincou por causa das revoltas.

O sangue correu pelo asfalto.

O sistema resistia com a sua frieza e os seus cálculos precisos.

Porém, num dia, o infiltrado número um conseguiu acabar com a vida de todos.

Concluiu a sua missão.

Restou o cartaz que dizia:

“De um ovo nasce o infiltrado contra o sistema”.

E o vento frio sopra a poeira que restou da vida na cidade fantasma, uivando no silêncio da multidão!

quinta-feira, 29 de abril de 2021

Concrecoisa Estou aqui

 

Estava andando, aqui em Salvador, numa praça perto de minha residência, no bairro Itaigara.

Foi na semana passada.

O meu olhar estava ligado em tudo, como sempre.

E numa árvore, irradiando beleza camuflada, uma borboleta mostrou o seu encanto.

Parei, fotografei com o iPhone, e falei comigo mesmo: “Vai virar uma concrecoisa”.

E assim nasceu este tema.

“Estou aqui” é o grito que ecoa no tempo-agora.

É o grito para cada um perceber que ainda existe ao redor muita beleza, alegria, paz e prazer.

Tem um passarinho cantando para você, ele está aí. Viu?

Tem uma flor mostrando o colorido da vida. Percebeu?

Tem sempre um “estou aqui” para você parar, olhar, sentir e ser feliz!

quinta-feira, 22 de abril de 2021

Concrecoisa Seduzir

A sedução carimba com o seu poder a pele, a carne, os ossos e a mente.

Sim, a sedução é uma tinta que vai carimbando a vida.

Tem gente que é sinônimo de sedução e carimba sem perceber.

São donos desse poder.

E as pessoas que não sabem seduzir acabam pisando os caminhos do amanhã com tapetes de espinhos.

As pétalas ficaram com os sedutores.

Em tudo tem sedução...

O calor seduziu o gelo.

E a água foi o presente que fez gerar a vida. 

O vento seduziu a tempestade.

E o céu acabou ficando todo azul.

O sol seduziu a lua.

E a escuridão da noite ganhou luz.

O tempo seduziu o desconhecido.

E tudo que existe virou enigma da sedução.

quinta-feira, 15 de abril de 2021

Concrecoisa Pasmo

Brigam pelo poder e para se dar bem.

Jogam com todas as forças, para o bem e para o mal.

Chutam bêbados desvalidos nas esquinas das cidades.

Jogam pedra em cachorro sem dono.

Enganam a todos com uma verborragia planejada.

Tudo acontece em sincronia.

E o choro do sofredor não incomoda, jamais incomodou.

Enquanto os outros choram, eles riem e atuam com mais ferocidade, sempre com os olhos voltados para o próprio umbigo.

Fico pasmo com as babaquices.

Fico pasmo com a hipocrisia.

Fico pasmo com a sede de poder.

Fico pasmo com a proliferação de canalhas.

Fico pasmo com a insensatez.

Fico pasmo com a desesperança.

Fico pasmo de tudo.

Desligo da realidade para ser feliz.

E deixar de pasmar.

quinta-feira, 8 de abril de 2021

Concrecoisa Vísceras


Um homem cometeu suicídio aqui em Salvador, na manhã de 8 de abril de 2021.

Ele se jogou do Elevador Lacerda.

Desespero, meu Deus! 

A tragédia circulou pelo Zap.

O tempo de agora é cruel.

Ele faz sangrar por dentro e por fora.

Tragédia num cartão postal da cidade da Baía de Todos os Santos.

A vida não suportou o desespero.

O ocorrido mostrou as vísceras do tempo de agora.

O tempo expõe as vísceras de tudo.

Só resta suturar a pele, a carne exposta, as vísceras.

E esperar a cicatrização que vem com amor e fé.

O desespero não pode matar a esperança, não pode, não pode...