sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Concrecoisa Carneval


A carne tremeu.

A carne dançou.

A carne “comeu água”, muita água.

Água que passarinho não bebe.

A muvuca era tudo.

Beijou mais do que um beija-flor.

Esqueceu que era gente.

Pobre? O que era isso?

Não sabia.

Também não sabia mais quem ele era.

Na Quarta-feira de Cinza, chorou com o fim da festa.

A carne voltou para a realidade.

E um vendaval de sofrimento inundou mais uma vez a sua vida.

Um comentário:

  1. Continuas inteligente como sempre, parabéns.Um forte abraço .

    ResponderExcluir